Cavalhadas de Amarantina encantam moradores e turistas em Ouro Preto

Julho 8, 2019

Foto: Larissa Pinto

Texto: Daniel Almeida

Janelas garantiram vista privilegiada aos ouro-pretanos e turistas que assistiram ao cortejo das Cavalhadas de Amarantina passar pelos bairros Água Limpa, Rosário e Centro, na tarde de domingo, 7 de julho de 2019, em Ouro Preto. Ao som da Sociedade Musical União de São Gonçalo, do distrito de Amarantina, 17 pessoas montadas em cavalo vestidos com mantos de cores distintas – azul com vermelho, representando os cristãos, e vermelho escuro, os islâmicos – deram vida à tradição de origem portuguesa que encena a batalha entre Carlos Magno, imperador romano, e os povo islâmico, no período da Idade Média chamado de Reconquista.

O historiador e narrador oficial das cavalhadas, Natalino Madalena Filho, 60, enalteceu o Festival de Inverno de Ouro Preto, Mariana e João Monlevade por definir Cavalhadas de Amarantina como tema do evento. "Depois de anos sem apresentações em Ouro Preto, voltamos para expor nossa cultura. As Cavalhadas é união, uma tradição que passa de pai e mãe para filhos. Todos participam e se ajudam a fim de comemorar a tradição do nosso distrito", comentou. O membro mais novo nas Cavalhadas, Gabriel Oliveira Duarte, 14, confirma a fala de Natalino: é o terceiro membro de sua família a integrar o movimento.

O presidente da Associação de Cavaleiros Mestre Nico de São Gonçalo de Amarantina, Lúcio Flávio Coelhos do Santos, 29, ressalta o valor das Cavalhadas para a comunidade de Amarantina. “O distrito de 4 mil habitantes se reúne para realizar as Cavalhadas. É um período em que festejamos a cultura trazida pelos tropeiros, e o nosso padroeiro, São Gonçalo. ”, pontuou. Lúcio faz parte da Associação desde os oito anos de idade.

Maria Lara Peixoto Basílio, de 10 anos, sonha em integrar as Cavalhadas como princesa Floripes quando fizer 15 anos. “É como se tornar adulto. Amarantina toda assiste você passear a cavalo em um vestido bonito”, comentou. Participar das Cavalhadas é como um rito público de passagem: quem representa a princesa Floripes já fez 15 anos e não é mais considerada criança. Os menores de 12 anos começam nas Cavalhadas Mirim e só depois passam para o grupo adulto. Pela janela de casa, a nutricionista Maria Mendes admirava o cortejo e observava Maria Lara falar sobre as Cavalhadas, concordando com a transmissão da tradição para as crianças de Amarantina. 

As Cavalhadas de Amarantina é Patrimônio Imaterial de Ouro Preto desde 2011. O evento é realizado anualmente. Em 2019, é possível prestigiá-lo entre os dias 12 e 16 de setembro. O Festival de Inverno de Ouro Preto, Mariana e João Monlevade vai até o  dia 21 de julho, confira a programação completa no site www.festivaldeinverno.ufop.br.